Páginas

sábado, 12 de junho de 2010

Pin-gan-do

Que vontade de acalentar-me ai, nos teus braços. Vontade de te ter por perto, de contar os segredos. Ouvir as angustias, dividir os medos.

Tu fostes num verão e ainda não voltou. Não tivemos despedidas, nada piegas, nem clichê. Sem promessas que não se cumpririam e sem porquês aflorados.

A medida que o carro avançava, numa velocidade mais lenta, lágrimas corriam dos olhos. E essas, embora não fossem mansas, não doíam tanto quanto as que escorriam pelo coração, molhado, febril, ao ver tua distancia cada vez mais perto.

Faz-me falta tuas palavras ásperas sussuradas no meu ouvido, teu jeito confiante de me fazer acreditar que tudo deve acabar bem. E, apesar de não o ter por perto, sei que estas sempre aqui, te vejo nos momentos mais difíceis, ao meu lado, segurando a minha mão, num pôr-do-sol. Me dando força.

4 comentários:

Camila Lopes disse...

Como você escrve bem, tem o estilo que eu adoro de escrever!!!
Obrigada pela visita em meu blog...
Tô seguindo..

Beijos

Lys Fernanda disse...

Adoorei seu texto querida, muito lindo aqui *-*



www.lysfernanda.blogspot.com

Larissa disse...

Que sutil e que forte ao mesmo tempo.
Algumas partidas não rompem nossos laços com quem realmente importa. E isso que às vezes dói, às vezes também nos faz mais fortes.

Um prazer vir aqui, vou te seguir.

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

O importante é continuar sentindo a presença dele em seus pensamentos, pois é isso que te dará forças para continuar!

Eu ainda não estava em sua lista de seguidores fiel, mas eu já dei um jeito nisso. Rs'

Fique com Deus, Carol! ;*