Páginas

sábado, 9 de julho de 2011

Dia de sol, brisa vindo do litoral que nessas horas não deveria ser tão perto da minha sacada. Aqueles tons preto-e-branco tem voltado com frequência tomando conta de uma parte que até então era florida, colorida, jardim de sol.
Infelizmente as coisas tem a tendência de mudar. E de um verão pro outro acontecem tantas coisas, e afinal, todos já esperam isso. Só não esperava que num inverno oscilante nossos corações também oscilassem. Vai roendo lá no fundinho do que eu chamo de eu, que nós chamávamos de seu. Mudou, mesmo que não pareça, mesmo que a gente não perceba, aconteceu enquanto piscávamos os olhos e tudo ficou cinza.
Tenho me achado tão insensível ultimamente. Talvez seja o medo misturado com uma pontinha de 'isso dói mais do que deveria'. Cinza, cinza. Enxergo tão bem essas cores, porquê afinal?
As palavras pesam a melancolia e saem mais ríspidas e com menos rimas do que eu gostaria. Mas, escrever sobre dor é sempre um problema de cor preta, branca e cinza que oscilam. Como oscilam.

2 comentários:

willa albuquerque disse...

Tem presente no meu blog para você. :)

Má Midlej disse...

mas sabe o que acontece? PASSA.